Implementos rodoviários: vendas crescem 20,5% no semestre.

Cadastrado em 20/07/2011

A Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, divulgou na terça-feira, 19, o desempenho do setor no semestre. De janeiro a junho foram emplacadas 90,9 mil unidades, crescimento de 20,5% sobre o mesmo período do ano passado. O avanço foi puxado principalmente pelo segmento de carroçarias sobre chassis, cujas vendas somaram 61,6 mil, elevação de 26,4% ante igual intervalo de 2010.

Outro destaque ocorreu na comercialização de baús alumínio e frigorífico, com comercialização de 21,4 mil unidades e acréscimo de 19,3%.

Para Rafael Campos, presidente da Anfir, "esses modelos ganharam mercado à medida que as restrições aos caminhões de grande porte se intensificam no País. Um veículo grande foi substituído por alguns menores". O setor de reboques e semirreboques contribuiu com 29,3 mil unidades, volume 9,6% acima do ano passado.

As exportações nos primeiros cinco meses do ano tiveram incremento de 5,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em unidades foram 1,7 mil. Segundo Mário Rinaldi, diretor-executivo da Anfir, as dificuldades de comercialização no Exterior permanecem com o real valorizado frente ao dólar.

Para o segundo semestre a entidade projeta números mais modestos, por duas razões: dificuldade na obtenção de crédito e concentração, pelos compradores, na aquisição apenas de caminhões, uma vez que, com a chegada da norma Conama P7 o preço destes veículos subirá a partir de 1º. de janeiro de 2012. Em compensação, entende a Anfir, o primeiro trimestre do próximo ano deverá ser forte para as fabricantes de implementos rodoviários devido, justamente, à consolidação das compras adiadas em 2011.

Futuro - Pensando no ano cheio do setor a Anfir imagina não um, mas três cenários. O primeiro, mais otimista, aponta vendas totais de 190,5 mil, crescimento de 9,1%, e faturamento de R$ 7,9 bilhões, 16,2% superior. Para Rinaldi, tudo depende da concessão de financiamento: "O crédito hoje está mais seletivo, não existe tanto dinheiro oferecido como no ano passado e, por se tratar de um produto de alto valor, é imprescindível".

O segundo panorama, considerado o mais provável pela entidade, prevê comercialização na faixa de 184 mil unidades, elevação de 5,3% e faturamento de R$ 7,1 bilhões, 4,4% maior.

Finalmente, na perspectiva pessimista - vista como a de menor probabilidade - as vendas totais ficariam em 182,5 mil implementos e faturamento de R$ 6,7 bilhões, avanço de 4,5% e queda de 1,2%, respectivamente.

Fonte: Autodata

Área do Distribuidor
Logo Noma

telefones Anfir

Copyright - 2011 - Desenvolvido por InovaClick