Brasil estuda produção de combustível a partir de resíduos agrícolas

Cadastrado em 16/05/2011

Etanol celulósico já é realidade na Dinamarca e deve ser produzido e comercializado no País a partir de 2012.

O etanol extraído da palha de trigo e de outros resíduos agrícolas e florestais constitui a denominada segunda geração de biocombustíveis. A primeira remessa de 28 mil litros do chamado etanol celulósico já está sendo usada por motoristas na Dinamarca. No Brasil, este novo processo de fabricação não deve demorar.

O XII Fórum Internacional sobre o Futuro do Álcool, realizado na cidade de Sertãozinho (SP), trouxe Thomas Nagy, vice-presidente de uma das empresas que auxiliaram no desenvolvimento do etanol de palha, a Novozymes, para discutir as possibilidades do novo combustível no Brasil. "Dentro de poucos anos as companhias brasileiras líderes de mercado poderão assegurar um fornecimento de biocombustível celulósico em escala industrial", afirmou Nagys em sua apresentação.

O Centro de Tecnologia Canavieira de Piracicaba e a fabricante de equipamentos Dedini são parceiras da companhia dinamarquesa para a implantação do etanol celulósico no País. O planejamento das empresas inclui a construção de plantas-piloto, o lançamento de enzimas específicas para a produção do biocombustível, e o início da construção de usinas a partir de 2012.

Fonte: Portal Transporta Brasil

Área do Distribuidor
Logo Noma

telefones Anfir

Copyright - 2011 - Desenvolvido por InovaClick